Sexta-feira, 10 de Outubro de 2008

Xii, tou feita!

Normalmente eu rio-me deste assunto, mas isto é coisa séria, hein?!

 

Raparigas com 18 anos ou mais, acautelem-se e tomem atenção! Este texto é para vós! (Mas, rapazes, atenção a vós também, isto implica todo o mundo!)

Disse-nos o nosso professor de Psicologia - um senhor já pró velhote, barrigudozinho, de óculos-fundo-de-garrafa, pouco cabelo, sotaque brasileiro, tendência para falar pelos cotovelos e ideias contraditórias e meio-amalucadas - que raparigas da idade que referi que não tenham, actualmente, um namorado... têm, nada mais nada menos, (e resumidamente)... uma doença mental! É isso mesmo! Quem não tiver namorado... toca a procurar psicólogo que vos acompanhe devidamente, porque o caso é bicudo!

E nada de irem a correr arranjar um namorado qualquer, hein?! Pelos vistos, os requisitos para se ser mentalmente saudável são:

* Que o dito rapaz seja mais velho que vocês;

* Que, de preferência, não esteja na mesma turma/curso, uma vez que isso não parece nada bem;

* Não precisam de gostar muito dele, porque - e isto são palavras precisas do meu professor - "mais vale mal acompanhado que só!";

* Não devem, portanto, esperar que apareça o príncipe encantado, mas aceitar convites aqui e ali e 'ir tendo' namorados, porque não é saudável ter só um e esperar que vá ser ele o pai dos nossos filhos;

* Apesar dos dois pontos anteriores, contribui para uma higiene mental adequada o facto de terem uma relação afectiva estável (não entendo, no entanto, como, se não podemos ter só um namorado ao longo da vida, mas sim vários...); 

* Devem praticar 'o amor' com bastante frequência, mas atenção, meninas, só se gostarem meeesmo muuuito do dito rapaz, "não vão no jogo dos homens", referiu o [pseudo]sábio senhor.

* ... 

 

Enfim... eu podia estar aqui a referir um sem-número de coisas que o meu Professor disse, mas fico-me por estas. Eu respeito o senhor e acho que em termos de matéria das aulas, ele até tem relativo jeitinho para explicar as coisas, mas há temas sobre os quais eu não consigo concordar, como por exemplo, este. Não sei o que pensam, vocês, leitores, mas eu não consigo imaginar-me a ter um namorado só por ter (ou só por dizer que tenho namorado, para não parecer mal) e a procurá-lo no meio da população masculina de idade superior a 18 anos e 10 meses só porque não ter um namorado com as qualidades ideais (por muito totó ou parvóide que seja, afinal o que importa é TER um) faz de mim uma doente mental...

 

Mas a quem acreditar nestas exigências proferidas por um senhor com muitos mais anos de carreira que eu de vida - e se forem do restrito grupo de pessoas que encaixa nos parâmetros para ser considerado 'doente mental' - façam o favor de marcarem uma consulta no psicólogo mais próximo de vós e, se não conhecerem nenhum, falem comigo, que tenho os meus conhecimentos. (Que remédio!)

sinto-me: a lolar!
Sexta-feira, 29 de Agosto de 2008

Verão com "cheirinho"... a comédia fatela!

Pois bem, pessoal, o pior foi mesmo o dia 23 de Agosto, sábado. À parte desse, todos os dias foram especialmente bons, e digo "especialmente" porque acarretaram consigo sempre aquele momento peculiar que fez de cada dia algo memorável - como o jogar matraquilhos com a famelga toda, mesmo tendo perdido...

O dia 23 de Agosto, no entanto, ficou-me gravado a fogo na memória pelas coisas negativas que aconteceram... fez-me, literalmente, ranger os dentes de frustação!

 

 

 (imagem da Net)

1. Acontece que acordei incaracteristicamente mal disposta, assim num jeito de mau humor contra tudo o que fosse ao contrário do que eu apelidaria de perfeito... o que nem é, de todo, meu, porque nos dias mesmo bons, costumo acordar a cantar. A má disposição chegou mesmo a levar-me a uma pequena discussão sem importância com a minha querida mãezinha, mas a coisa, como de costume, passou depressa;

 

2. Fomos - eu e a famelga - até à praia, onde a manhã até nem foi mal passada... um solzinho mesmo de Verão, daqueles de tostar uma pessoa até deixar a pele da cor saudável do moreno-de-meter-inveja, a água do Atlântico a uma temperatura razoável e um passeiozinho higiénico à beira-mar que teve como um dos muitos benefícios melhorar o meu humor.

Acontece que chega a hora de partir (que aqui a dona do estaminé é apologista de defender o corpinho das horas perigosas de sol abrasador), já estava eu mais animadinha, quando reparo que na areia está uma coisa de forma e cor estranhas, de tal modo que não onseguia o meu pobre cérebro discernir nada, na sua memória, que a semelhante fealdade se associasse. Portanto, se isto não vai de vista, vai de faro, pelo que foi através do meu nariz que me apercebi tratar-se aquilo de dejectos, fezes, massas fecais, excrementos, imundície, esterco, a letra "éme" seguida de quatro asteriscos, chamem-lhe o que quiserem, aquilo era mesmo cocó e cheirava muito mal. Cheiro esse que, diga-se de passagem, se me entranhou nos pés, nas mãos, no corpo, na roupa, inflitrando-se de tal maneira no meu querido nariz, que ameacei começar a chorar de nojo, repulsa e irritação pelas pessoas insensatas e tolinhas que levam bichinhos-ladrantes para as praias e escondem os seus 'presentes' na areia - isto presumindo eu que a porcaria fosse de canídeo.

 

                                (imagem da Net)

 

3. Cheguei a casa furiosa e ansiosa por me enfiar na banheira e encharcar-me de água e sabão. Foi o que fiz, depois de atirar ao meu pai um rápido "ligas-me o gás, por favor?!" e correr desesperadamente escadas acima.

 

 

                                    (imagem da Net)

Pois bem, meus amigos... não é que, no meio do banho, naquele lusco-fusco entre estarmos cobertos de espuma e sabão da cabeça aos pés e ligarmos a água para os retirarmos, se acaba o gás?! Ligo eu o jacto de água, espero e espero que aqueça e nada! Lá tive de gritar pelo meu pai, que me gritou em resposta, do andar de baixo, que ia mudar as botijas de gás, enquanto eu esperava ao frio, encharcada e cheia de espuma, que a água aquecesse. Garanto-vos... alguém do Departamento de Escarnecimento Social e de Tortura Individual de Natureza Ordinária (D.E.S.T.I.N.O.) esteve muito ocupado nesse dia, a infernizar-me o juízo. Tenho, mesmo, a convicção de que um ou outro funcionário desse Departamento tem a função específica de tirar um dia por mês ou por ano para, mesquinhamente, nos fazerem perder as estribeiras!

 

4. Por fim, é ao sábado que passa, na TV, uma das poucas série que gosto mesmo de seguir sem perder pitada de nenhum episódio - nomeadamente, a segunda temporada da série Heroes.

 

 

 (imagem da Net)

Sim, o que estão a imaginar aconteceu mesmo... o tal Departamento tem fulanos inflitrados nas estações televisivas, claro! Portanto, a cerejinha no topo do bolo apimentado daquele dia desesperante foi mesmo a TVI ter escolhido esse preciso sábado para não passar a série... ora, eu que já tinha esperado uma semaninha inteira para ver a continuação da história e que já estava com os nervos em franja por causa de tudo o resto... fiquei pior que estragada! Livra! Que raiva!

 

Mas bem... este foi mesmo o pior dos dias. E recordo-o amarga mas claramente, essencialmente por ter sido o único dia repleto de tanta coisa maléfica, que obliterou, por completo, qualquer coisa boa que possa ter sucedido no entretanto desse dia de infortúnios. Portanto, 'tá-se mesmo a ver que o resto do Verão passado à beira-mar foi excepcional, pelo que dou graças a Deus... imaginam a neura com que eu não estaria se todos os dias tivessem sido como esse sábado de Agosto! Credo, gente! Batam na madeira! Que o tal Departamento seja cego, surdo e mudo!!

sinto-me: a rir-me da situação
Quinta-feira, 31 de Julho de 2008

No que pensamos quando temos um "bicho" de tamanho monumental

  

A minha querida Samira, já vos tinha falado dela, sendo a estrela cá da casa, não é, por isso, menos palerma do que aparenta ser, como podem ver pela foto. Digamos que, às vezes, me apanho a olhar para a criatura e a pensar como será possível que alguém possa existir quase totalmente à margem de regras e ainda assim viver à grande e a francesa, com todo o luxo e necessidades (básicas e não só) supridas. Ela dorme, come, dorme, "deixa presentes" e dorme. Só. Pura e simplesmente.

Não lhe é exigido que proteja a casa, não lhe é exigido que cumpra à risca as regras mais tolas - só aquelas essenciais à co-habitação de três seres humanos e um "bicho" - não lhe é exigido que 'o' faça mesmo no jornal, se for na zona paralela aos periódicos, num raio de meio metro, já é considerado bem feito. É uma miúda de sorte.

Até nas viagens... comprou-se-lhe um reboque jeitoso, espaçoso, mas a menina reparou que não se dá bem com tratamento abaixo de realeza... pelo que já conquistou (com aquele tamanhão) o seu lugar ao sol dentro do carro, mais propriamente ao lado do banco onde geralmente vou eu sentada. Tudo bem, eu gosto da miúda, porque não deixá-la ir deitada a ocupar quase três lugares à minha beira? (Pergunto-me como seria se pagasse bilhete... era capaz de me rosnar se lhe dissesse que tinha de pagar três).

 

 

A viagem deste ano, penso eu, também vai ser ao género preferido de Sua Canileza. Quanto a mim, já me sentei à frente dela e propus-lhe seriamente que se deixasse ir num saco dos correios até ao ponto de chegada. Garanti-lhe que eu mesma punha o selo de "Correio Azul" com o aviso à frente "Se ladrar, não ligue"... Claro que na zona (da) traseira teria de escrever "Frágil... não cheire!".

Ela não foi nessa. O problema dela continua a ser o de ser minimamente inteligente para olhar para mim com ar palerma e ofegar exageradamente, com a língua de fora, sempre que lhe faço propostas destas.

Não sei bem... mas talvez seja por esse ar apalermado que eu gosto tanto dela.

sinto-me: uma dona babada! :D
Domingo, 27 de Julho de 2008

Como arranjar bons filmes ao fim de semana

Hum... será impressão minha ou, ultimamente, não há uma quantidade razoável de filmes janotas em que perder tardes inteiras de fim-de-semana? Francamente, quando eu era mais piquena, recordo-me vagamente que os filmes eram mais jeitosos - ou talvez eu diga isto por as películas que passam hoje em dia na TV serem exactamente as mesmas de há dez anos atrás, quando os vi pela primeiríssima vez. Pois, lá vem o problema recorrente da repetição constante.

 

                        (imagem: direitinha da net)

 

Mas, basicamente, parece sempre que é tudo do contra. Se, por alguma razão absurda, eu tivesse o fim-de-semana ocupado (essencialmente com algo relacionado com estudo intensivo para a faculdade), de certezinha que os filmes seriam, em todas as estações, sérios ou fantasticamente cómicos, interessantes e de suspense, estreias imperdíveis ou repetições apetecíveis.

Chego, às vezes, a ganhar uma vontade de pisar o chão com força, a fingir que vou sair de casa com pisadas audíveis, fechar a porta de casa com estrondo, para depois correr à TV para confirmar os filmes dessa altura... sou capaz de jurar que estaria algo de jeito no ar.

 

 

                             (imagem: direitinha da net)

 

Sim, provavelmente já muitos chegaram a esta conclusão e até já chegaram ao ponto de ver os filmes do fim-de-semana acompanhados dos livros de estudo, dos impressos do IRS ou do computador ligado no site da empresa, mesmo em tempo de férias... a ver se me lembro, na próxima semana, de pegar nos livros de Anatomia e pô-los bem esparramados à frente do ecrã e uns quantos de Bioestatística (para dar um ar sério à coisa) no meu colo. As pipocas, essas escondo-as, mas acho que vou precisar delas, que com estas técnicas, filmes dos bons estão garantidos, de certezinha.

sinto-me: cinéfila, mas pouco LOL
Segunda-feira, 2 de Junho de 2008

Telepatia Virtual

Malta, convido-vos a "visionalizacionarem" - como dizia o RAP - um site à maneira que vai contra tudo aquilo que esperávamos da tecnologia actual. É pura e intrigante telepatia virtual. Acontece que o que o site vos pede é que pensem num número e que, após duas facílimas contas, cliquem num botão vermelho, depois de consultarem uma lista de números... pois o site adivinha o que vocês pensaram. Mesmo. Sem tirar nem pôr. Vejam com os vossos próprios olhos:

http://kardini.fateback.com/telepatiav.htm

 

 

  

Se ficarem curiosos e quiserem perceber como funciona, deixem um comentário, que eu tento explicar. Se forem amantes do mistério e da magia e quiserem manter tudo no mais secreto sigilo, muito bem, que a magia esteja convosco! :D

E façam o favor de serem felizes!

sinto-me: mágica e misteriosa
música: Time after time
Quarta-feira, 28 de Maio de 2008

Tentativas (quase) frustradas

Ai, gente! Pois estou aqui eu, de férias (espero eu, por favor, que não me apareça aí, numa esquina escura, um exame qualquer inesperado para fazer!) e nada de melhor encontrei para fazer a não ser... cozinhar. Exactamente. Resolvi deitar a mão na massa, abrir um livro de receitas novinho em folha e escolher a coisinha mai' bonitinha e com aspecto mais janota que abrisse o apetite à famelga trabalhadora cá da casa.  

Pois bem, escolhi a "tarte de fiambre". Convenci a minha figura paternal a ir às compras comigo - maldita dependência do carro do pai para todo o lado e mais algum! - e deitámos os dois as mãos à obra para fazer dos ingredientes uma bela tarte!

 

 

Pois bem... só faltou mesmo o Ratatouille a ajudar, porque seria sem dúvida a chave para aquilo ter corrido 100% bem e não se ter ficado só pelos 60%.

 

Acontece que, por muito à risquinha que tenhamos seguido a receita, faltou qualquer coisa, ali. Ou então foi qualquer coisa que foi posta a mais... não ficou totalmente bem... apenas... razoável, comestível... foi pena... para a próxima correrá melhor, garantiu-me a minha querida mãe.

 

Até lá, lá tiveram eles - e eu! - de comer a tarte toda, que também não somos de deitar comida fora.

E pronto... mais uma vez, ficou comprovada a minha falta de jeito para qualquer "cozinhação" de refeições que não tostas e sobremesas. (Que essas, ao menos, ficam bem boas! :D)

 

Até amanhã, malta. Façam o favor de serem felizes.

sinto-me: "cozinhadora"
palavreado por Palavreadora às 22:07

link do post | comenta palavreando | adicionar aos tesouros
Terça-feira, 15 de Abril de 2008

E as coisas simples (ou não?!) em que não pensamos?

Então estamos sossegados na nossa vida, atarefada e a borbulhar, como sempre, sem reparar naquele fulano em quem esbarramos à entrada do bar ou aquele que passa por nós e pede desculpa, numa correria, por nos dar um encontrão... qual desses não poderá ser aquele? A quantidade de vezes que penso nisto... dá-me vontade de que cada minuto da vida durasse o suficiente para poder admirar e avaliar cada um (vá, janota, né?! he he xD) que passa por mim e poder sentir aquele instinto no meu coração, de saber, finalmente, "é este!". 

 

 

Ou talvez o tempo tenha mesmo sido inventado para ser assim, rápido e confuso, de modo a que a nossa vida fosse este borbulhar constante de velocidade e stress, para que possamos sentir o tempo parar no instante que o reconhecemos. O tal.

 

 

Pergunto-me se irei notar. Quando o topar. O ritmo a que a minha vida anda e a quantidade de stress que lhe estão associados não vão mesmo permitir que eu sinta calmamente o tempo parar e a vida mover-se em slow motion quando o conhecer. O que será uma pena. Que sentimento fantástico desperdiçado.  

sinto-me: feliz!
Quarta-feira, 2 de Abril de 2008

Como nos tornarmos uns blogueiros famosos!

Pois é. A meio das minhas navegações, lá dei com isto. E achei que era uma dica excepcional para todos os bloguistas que visitam aqui o estaminé... eu própria estou a pensar seguir este caminho... porque não? Não há tantos, por aí, assim?

 

sinto-me: na galhofa!
PaLaVriNhAs: , , , , ,
Quinta-feira, 6 de Março de 2008

Perguntinha pra casa - Déjà vu

Pois bem, caros amigos. Mais uma vez, venho aqui no lusco-fusco normal de quem tem mesmo muuuito que fazer, mas que tira um tempinho para aqueles que não deixam de sentir a inevitável saudade aqui da Palavreadora.

 

Hoje, proponho-vos que me respondam à seguinte questão: quantas vezes e em que casos já sentiram aquela famosa sensação de déjà vu? Para quem não alcançou, trata-se daquela sensação que temos quando pensamos que estamos a viver algo por uma segunda vez ou que já sonhámos com aquele preciso momento, num dia recentemente passado, e em que quase sabemos o que vai acontecer a seguir... que me dizem? Isto acontece-vos muitas vezes ou nem por isso? É que se nunca vos aconteceu, talvez seja uma ideia a considerar o eu consultar um médico o mais rapidamente possível! he he he...

 

 

 

E lembram-se deste filme? Se não viram, aconselho vivamente!!!

 

sinto-me: deja vusista
Terça-feira, 26 de Fevereiro de 2008

Ena, gente, lamento...

... que no meio da anatomia - teórica e prática -, da histologia - teórica e prática -, da fisiologia e de outras tantas, de risotas de forma primitiva (nem digo o que "segurar", né, Sissi?! xD), de problemas sérios para apanhar o telemóvel para não cair ao chão, de tudo e mais alguma coisa..... eu não tenha tempo para actualizar como deve ser aqui o cantinho. Mal possa, é a primeira coisa que eu faço, mas como deve ser, sim? Que é para não ofender nem desiludir Betes, Ruis, Catarinas, Carochinhas, Saras, Mr. Gods e outros que tais, sim???

  

Obrigada pelos comentários, é por vossa causa que as visitas do blog estão naquele extraordinário número que podem visionalizacionar ali à direita!!!!

  

Passem beeem! Divirtam-se e trabalhem muito, que hoje em dia, também é preciso!

sinto-me: neutra... mas mais cansada!
PaLaVriNhAs: , , , ,
Sexta-feira, 15 de Fevereiro de 2008

Quem sabe, sabe! E disto eu sei! xD

Tenho a ligeira impressão que a maior parte dos leitores que por aqui passa não tem uma ideia correcta - se é que chegam a ter a ideia - do que são micanços, no verdadeiro sentido da palavra.

 

Todos gostamos de um bom micanço. Todos gostamos de micar e de ser micados, mas todos gostamos, essencialmente, de ser micados por géneros do sexo oposto que sejam, inclusive, bons de ser micados.

 

emo_rir

 

 

 

 

 

 

 

   A Micançonia é já quase uma ciência, no mundo tecnológico de hoje. Sei do que falo porque, este ano, me tenho especializado, juntamente com a Dra Bete, no campo dos micanços. A Dra Bete trabalha na área da recepção, enquanto eu me sinto mais à-vontade na área da execução.

 

Um bom exemplo de Micanço Executado é quando alguém sente um estímulo nervoso-irresistível-praticamente-incompreensível para olhar para um outro ser da mesma espécie que lhe captou a atenção por razões de carácter positivo. Eu cá gosto mesmo destes.

 

Experimentem passear de carro por algures... lá pelo meio do caminho um carro há-de passar em que, para além de micanços, vos sejam lançadas beijokas no ar - que há beijos, sinais, letras e olhares lançados no ar que, por vezes, têm mais amor e sentimento que o toque físico.

 

 

Portanto, experimentem iniciar-se nesta linda vida dos micanços, fazem-se felizes a vós, fazem felizes os outros, é um conselho de quem sabe do que fala!! 

 

Para mais informações, contactem aqui com a Dra. ou com a Dra. Bete!!  

  

sinto-me: micada!
Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2008

É uma daquelas ideias...

Tive uma daquelas ideias que só vêm uma vez por semana e que, normalmente, têm tendência a chocar amigos e família.

 

E isto a propósito do aniversário de uma pessoa muito especial, que completou ontem umas quantas primaveras... não pude deixar de pensar...

 

Não era espectacular se o dia de aniversário de cada indivíduo fosse decretado feriado para esse mesmo indivíduo e em que a empresa onde essa pessoa trabalha oferecesse um dia no spa ou uma viagem, para toda a família? Que isto sem a famelga toda não tem piada nenhuma! Digam lá que não era mesmo boom?! 

 

E já que actualmente se assinam numa noite 300 despachos (isto é sempr'andar), podiam fazer um deste género, não?

 

 

sinto-me: LOLATIVA
Domingo, 10 de Fevereiro de 2008

Abram o champanhe... a festa é por minha conta!

Pois é, caros amigos, foi graças às vossas visitas, aos vossos comentários regulares, às vossas leituras e ao prazer da vossa companhia que, com muito gosto, este blog alcançou e superou as

 

1000 visitas

  

Sim, eu sei que parece estranho fazer um post de propósito em honra da chegada aos 4 dígitos, mas a verdade é que o prazer (misturado com uma boa dose de trabalho!) associado a este blog permite-me demonstrar publicamente o meu orgulho em que este cantinho chegue a ter visitas diárias, tanto de amigos e conhecidos, como de navegantes desonhecidos. É bom saber que apreciam o nosso esforço!

 

Eu sei que há uma certa pessoa que vai exigir que se faça mesmo uma festinha janota - tal como devíamos ter feito a do cacifo e a das visitas do hi5 - mas ela vai mesmo ter de esperar pelo Verão!! 

 

 

 

 

Entretanto, e como de costume, estão todos convidados a continuar a participar na vida activa deste singelo blog, seja lendo, comentando, dando sugestões... porque parte dele é vosso também!

 

A todos o meu muito obrigada!

sinto-me: festiva!
música: Congratulations
Sexta-feira, 8 de Fevereiro de 2008

Aproxima-se...

... a passos largos o  Dia de S. Valentim . E poucos são os que sabem sequer porque se comemora este dia no dia catorze deste mesmíssimo mês e porque se chama dia de S. Valentim e não dia de S. Acácio de Bralzequiche. Por acaso, a mim dava-me muito mais jeito que se comemorasse a 14 de Dezembro, porque era pretexto para receber prenda atrás de prenda em dose tripla. E, se fosse a 14 de Dezembro, nada melhor para apimentar o dia do que chamar-lhe dia de S. Acácio de Bralzequiche.

 

Mas bem. Já sabemos que é um dia mais comercial do que outra coisa. Ninguém quer saber do dia da morte de um sacerdote do séc. III d.C. que realizava casamentos em segredo, porque naquela época, casar era proibído, com toda a lógica e benefício para o Imperador Romano Claudius II, que assim ficava com mais soldados solteiros para as frentes de batalha. Na realidade, os governantes de hoje-em-dia só não pensaram ainda nisto, lá está, porque ninguém sabe sequer o que comemora neste dia. Mas é essa a teoria mais aceite, gente. Portanto, em vez de gastarem dinheiro em peluches em forma de coração e chocolates, pensem antes em acender uma velinha ao São Valentim, que se não fosse ele, este dia não existia.

 

Se bem que, na minha sincera opinião, para fazerem um dia destes, comercial ou não, mais valia ser feriado. Digo eu.

 

 

 

Para perceberem melhor esta história toda, cliquem aqui, acho sempre interessante perceber melhor estas coisas!!

 

sinto-me: bem!
música: All you need is Love - Beatles
Sexta-feira, 1 de Fevereiro de 2008

E o dias vão passando...

... vão passando, sim senhora, e muito bem passados, para já.

 

Só hoje, foram logo emoções atrás de emoções, divertimento, novidades, piadas, risos, de tudo um pouco!

 

Foram daqueles raios faiscantes na aula de inglês, nem sequer sabia que o corpo conseguia produzir tamanha quantidade de adrenalina e ejectá-la em quantidades exacerbantes no sangue, por segundo.

Ainda na mesma aula de inglês, e segundo fontes seguras, fui apelidada de "nothing" e, espantosamente, nunca me deu mais gosto pensar que podiam ter-me chamado "nada". [isto é obra da Bete!]

 

Depois de uma viagem atribulada para o Norteshopping [como estava quente, né? Ai, os calores que estavam por ali à custa de duas simples palavrinhas... foi preciso ar condicionado no máximo e tudo...], e de um almoço bem saboroso, foi a vez de conhecer uma pessoa nova toda bem disposta, de discutir a diferença entre o Rex e o Max [pelos vistos, o pobre do Max é uma versão maricas do Rex, e isto não são palavras minhas!], de trocar livros de bd de boa qualidade e de ver um filme engraçado em que eu acendi infantilmente a luzinha pro tecto ou pras cadeiras, sob a desculpa de que estava a fazer uma boa acção para aqueles que se levantassem durante o mal-vindo intervalo.

 

Foi um bom dia! Diverti-me. Falei e ri que me fartei.

A todos os que fizeram parte dele, obrigada e um beijinho! 

sinto-me: satisfeita!
Quinta-feira, 31 de Janeiro de 2008

A vida consegue ser mesmo bela!

Ir de metro até à Trindade, voltear pelo Porto, por shoppingues minúsculos, fiscalizar Froizes, comprar aperitivos nutritivos, inventar frases fatelas estrangeiras, a fingir que se é turista, admirar o som da passagem do metro através das grelhas do chão, cuscar os turistas a sério, passar uma hora de almoço bem divertida..... isto tudo só é possível com a minha querida Bete. A minha querida, maravilhosa, fantástica, "louca" =), prestável, "criança adulta", amiga BETE!!

 

Estas quintas-feiras são do melhor!! Para mais informações de como passar uma tarde fantástica, tudo praticamente de improviso, por favor contacte a autora do blog, moi je!

 

Bete, minha linda, um beijinho enorme, tu mereces!!     

sinto-me: feliz!
Sábado, 26 de Janeiro de 2008

Practice Makes Purr-fect

 

 

Esta é mesmo para a minha querida Lady Bird, pela fofura da gatinha, e porque toca tão bem! =) Por acaso, não encontrei nenhuma a tocar harpa, senão, vinha direitinho para o Viver, Palavreando!

Beijinho para a minha patruska!

E para todos quantos aqui vierem, também! Obrigada pelas vossas visitas!

sinto-me: Gatiinhaaa!
música: aquilo é meio abstracto
Terça-feira, 22 de Janeiro de 2008

Chove, chove, chuva!...

Sim, eu vim relatar o caricato incidente de hoje, mesmo sob pena de sofrer qualquer tipo de dano fatal, nomeadamente se a autora do incidente se lembrar que a minha vida é perfeitamente desprezível relativamente à sua dignidade. Quero com isto dizer que estou feita ao bife se a Joaninha se lembrar de dar aqui um pulinho para ler as paspalhices que escrevo.

Acontece, no entanto, que isto é tudo culpa, nada mais, nada menos que da Ana M.

Essa rapariga de mente impura, amante pecaminosa de fritos, induziu-me a vaguear por caminhos errantes ao tentar visualizar - mais físico ainda que visualizar, se é que me entendem! - os "ciclos cardíacos", como ela lhes chamou, pobre 'ingnorante' menina que não sabe que são respiratórios, os ciclos, e não cardíacos, e, ao tentar fazê-lo, induziu-me a sobre eles raciocinar, metendo ao barulho o simpático professor de Gestos, de voz calminha, levando, por sua vez e indirectamente (se bem que aquilo foi bem directo!!!), a pobre da supracitada Joaninha a esguichar assustadoramente a água toda, numa pontaria certeira para lado nenhum, levando ainda a uma gargalhada geral de fazer chorar!

Foi lindo.

Um momento "aquático" bastante profundo, que vai ficar na memória de todas quanto o presenciaram, nomeadamente da pobre moça que esguichou, que essa, do engasgo não morreu porque estava pra morrer de tanto rir.

À Ana M, tal como me competia, preguei-lhe sermão e missa cantada com a penitência arrastada de que deve passar o dia de amanhã na Igreja.

A todas um beijinho! =)

sinto-me: divertida!
Domingo, 20 de Janeiro de 2008

Flight Of The Conchords

 

Prestem atenção à letra, que vale a pena! Tá de partir o côco. Outra vez. =)

sinto-me: com o côco partido!
música: The Humans are Dead
PaLaVriNhAs: , , ,
Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2008

52 segundos pa partir o côco!...

 

Pá, eu sei que é feio rir do mal dos outros, mas com estes 52 segundos eu não aguentei. Tive mesmo de rir. Qual playback qual quê! O fulano é um tolas, a projecção de voz, mesmo quando cai do palco, é fantástica, quem não estivesse a olhar nem se apercebia da queda!!

sinto-me: divertida
música: SQUEEZ THEEZE PLEEZE

§ mAis sObRe Mim

§ PeSquIsAr um PaLaVrEaDo

 

§ Outubro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30
31

§ PalAvReAdOs

§ Xii, tou feita!

§ Verão com "cheirinho"... ...

§ No que pensamos quando te...

§ Como arranjar bons filmes...

§ Telepatia Virtual

§ Tentativas (quase) frustr...

§ E as coisas simples (ou n...

§ Como nos tornarmos uns bl...

§ Perguntinha pra casa - Dé...

§ Ena, gente, lamento...

§ Quem sabe, sabe! E disto ...

§ É uma daquelas ideias...

§ Abram o champanhe... a fe...

§ Aproxima-se...

§ E o dias vão passando...

§ A vida consegue ser mesmo...

§ Practice Makes Purr-fect

§ Chove, chove, chuva!...

§ Flight Of The Conchords

§ 52 segundos pa partir o c...

§ Dedicatória nº 2 (desta v...

§ Porque já estava a precis...

§ Olhós Momentinhos!

§ Errata descomunal

§ Informação realmente impo...

§ Das minhas preferidas!

§ Está quase!!!...

§ Outras ondas!... III

§ Caloirices e cansaço a re...

§ M.A.S.P.

§ E porque vale a pena a re...

§ Como é Natal e tal...

§ então esta é a Rute!

§ Isto é para conhecerem a ...

§ só para não dizerem que n...

§ meu, ele tem toda a razão...

§ Já cá faltava... a estrel...

§ so mesmo para um risinho!

§ Nunca é um fim!

§ OuTrOs PaLaVrEaDoS

§ Outubro 2008

§ Setembro 2008

§ Agosto 2008

§ Julho 2008

§ Junho 2008

§ Maio 2008

§ Abril 2008

§ Março 2008

§ Fevereiro 2008

§ Janeiro 2008

§ Dezembro 2007

§ Novembro 2007

§ Outubro 2007

§ Setembro 2007

§ Agosto 2007

§ Julho 2007

§ Junho 2007

§ Maio 2007

§ Março 2007

§ Fevereiro 2007

§ Janeiro 2007

§ Dezembro 2006

§ Novembro 2006

§ PaLaVriNhAs

§ todas as tags

§ CaiXinHa dos TeSouRos

§ Sentir os sentimentos por...

§ Uma pitada de poesia...

§ A poesia do velho

§ Uma caixinha dos tesouros...

§ Palavreados aleatórios II...

§ Conclusão inegável

§ Palavreados aleatórios - ...

§ Palavreados aleatórios II...

§ AdMiReM OuTraS ObRaS

blogs SAPO

§ subscrever feeds